BIOGRAFIA

Minha foto
Areia, Paraiba, Brazil
O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É Bacharel em Teologia pelo STEC, Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Licenciando em Letras, com habilitação em Língua Inglesa, pela UFPB (Universidade Federal da Paraíba). É professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. É professor de Teologia Sistemática no Seminário EMES, em Campina Grande - PB. É Pastor do Quadro de Ministros da AIECB. Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia/PB.

15 de maio de 2012

Diálogos Com o Pastor Gilson Sobre a Volta de Cristo e o Milênio



DIÁLOGOS DO PASTOR GILSON SOBRE A VOLTA DE CRISTO E O MILÊNIO

Rev. Gilson Soares dos Santos

            Arrebatamento, Grande Tribulação, Milênio, etc. São temas da escatologia que deixam muita gente confusa. Como entender as diversas linhas de pensamento? Quem está com a razão?
            Para facilitar a compreensão sobre o assunto e ensinar o tema de forma bem didática, elaborei um “círculo de debates”, em forma de diálogos. São debates e diálogos que tive com alunos, membros da igreja que pastoreei e da igreja que pastoreio, debates com pastores e com curiosos do assunto e até comigo mesmo. Reuni todos em um único diálogo. Os nomes das pessoas são fictícios, mas os questionamentos são verdadeiros.

Saulo: Pr. Gilson, diga-me uma coisa: todos nós cremos na volta de Cristo da mesma maneira?

Pr. Gilson: Não. Existem interpretações diferentes sobre a volta de Cristo.

Saulo: Tem como o senhor explicar, bem direitinho, sobre esses pontos de vista?

Pr. Gilson: Vou explicar, de maneira detalhada, cada corrente escatológica sobre a volta de Cristo, o milênio, a grande tribulação, etc.

Saulo: OK.

Pr. Gilson: Basicamente, existem quatro posições sobre o assunto, as quais são:

1 - O pré-milenarismo histórico,
2 - O amilenismo,
3 - O pós-milenismo,
4 - Pré-milenismo dispensacional.

Rute: Eu ouvi dizer que amilenismo e pós-milenismo são a mesma coisa.

Pr. Gilson: Não. São dois pontos de vista distintos, embora sejam parecidos. Eu vou explicar.

Rebeca: Continue, pastor, continue.

Pr. Gilson: Ok. Vamos continuar. Vamos entender primeiro o que é o pré-milenismo histórico. Esta foi a posição dominante dos pais da igreja.

Saulo: Espere aí. Quem são os pais da igreja?

Pr. Gilson: São chamados de pais da igreja os teólogos e líderes da igreja entre os séculos I e IV. Pois bem, eles criam na ideia de um reino literal de mil anos na terra, depois da segunda vinda de Cristo. Essa é a noção que define o pré-milenismo.

Davi: Não entendi, o senhor pode explicar melhor?

Pr. Gilson: Vejamos. Segundo o pré-milenismo histórico, a ordem dos eventos podem ser assim resumida:


1 - Época presente da igreja, da evangelização e da apostasia do homem;
2 - Grande tribulação (que alguns creem que durará sete anos), ascensão do anticristo e perseguição da igreja;
3 - Volta de Cristo, arrebatamento, primeira ressurreição e batalha do Armagedom;
4 - Inauguração do milênio e prisão de Satanás no abismo;
5 - Milênio, que é o Reinado de Cristo sobre a terra;
6 - Fim do milênio, soltura de Satanás e rebelião das nações;
7 - Derrota de Satanás, ressurreição dos ímpios e julgamento final;
8 - Estado eterno.

Saulo: Isto quer dizer que todos os pré-milenistas históricos são pós-tribulacionistas?

Pr. Gilson: Exato. Quase todos os pré-milenistas históricos são pós-tribulacionistas.

Absalão: Caracas! Isto quer dizer que a igreja passará pela grande tribulação?

Rebeca: Aff! Morro de medo dessa grande tribulação...

Pr. Gilson: Esta posição afirma que os crentes vivos serão arrebatados na segunda vinda de Cristo, e que o arrebatamento ocorrerá no final da grande tribulação, ou seja, segundo os pré-milenistas históricos a igreja passará pela grande tribulação.

Saulo: Quem são os teólogos que defendem o pré-milenismo histórico?

Pr. Gilson: Deixe-me passar uma lista de alguns dos defensores desta linha doutrinária.

1 – Os pais da igreja: Justino de Roma, Irineu de Lion, Tertuliano, Papias, que foi discípulo direto do apóstolo João, e outros.
2 – Os reformadores: William Tyndale, muitos dos anabatistas e outros durante a Reforma Protestante.
3 – Os puritanos: William Twisse, Thomas Goodwin, William Bridge, Jeremiah Burroughs, Cotton Mather.
4 – Os Batistas: Benjamin Keach, John Gill.
5 – Os pietistas alemães: Phillip Jakob Spener, Johann A. Bengel.
6 – Os avivalistas: Charles Wesley, Augustus Toplady, Andrew, Horatius Bonar, C. H. Spurgeon.
7 – Nos teólogos contemporaneous: Oscar Cullmann, Russel Shedd, George Eldon Ladd, Wayne Grudem, R. K. McGregor Wright e Millard Erickson
8 – E ainda, Georg Ladd, Robert Gundry e Douglas Moo.

Saulo: Existe algum escrito do passado que defenda essa posição.

Pr. Gilson: Sim. Algumas obras como O Didaquê, O Pastor de Hermas e a Epístola de Barnabé apresentam este assunto, defendendo o arrebatamento no final da grande tribulação.

Madalena: O senhor citou que Spurgeon também era pré-milenista?

Pr. Gilson: Sim. Citei Spurgeon como pré-milenista.

Saulo: O senhor falou nos Reformadores, isto quer dizer que Lutero e Calvino também defendiam essa mesma posição?

Pr. Gilson: Não. Lutero e Calvino eram de outra corrente. Veja bem, quando citei os reformadores, isto não quer dizer que todos eles defendiam o mesmo ponto de vista.

 Rute: E o senhor também é pré-milenista?

Pr. Gilson: Vamos deixar meu ponto de vista prá depois. Rsrsrsrsrs. Vamos ao próximo, qual é mesmo?

Saulo: Amilenismo.

Suzana: Pelo nome, parece que esses aí são contra o milênio.

Pr. Gilson: Calma. Vamos entender. O amilenismo afirma que o milênio de Apocalipse 20 não é literal, ou seja, não são mil anos literais, e ainda defendem que o milênio já está em processo de realização. Na verdade, os defensores desta teoria são chamados de amilenistas porque negam o milênio literal de Apocalipse 20.

Suzana: Como eu disse, são contra o milênio.

Pr. Gilson: Não é bem assim. Eles não são contra o milênio. Eles apenas não acreditam que os mil anos que a Bíblia fala em Apocalipse 20 sejam mil anos mesmo. É tanto que um dos defensores desta corrente de pensamento escatológico, o Jay Adams, prefere ser chamado de pró-milenista. Vamos continuar entendendo. Os defensores do amilenismo afirmam que a igreja é herdeira das promessas feitas à nação de Israel. Então, o cumprimento das profecias acontecerá num sentido espiritual e não literal.

Tomé: Não entendi.

Pr. Gilson: Vou tentar explicar melhor. Os amilenistas (ou pró-milenistas) crêem que já estamos vivendo o milênio, pois o milênio é o reino espiritual de Cristo no coração dos crentes na terra e o reino de Cristo com os santos no céu.

Saulo: E sobre os eventos da ressurreição, da tribulação e da segunda vinda de Cristo, o que eles dizem?

Pr. Gilson: Sobre isto vejamos. Para eles, a primeira ressurreição não pode ser considerada uma ressurreição física, porque, segundo eles, haverá apenas uma ressurreição física e isso acontecerá quando Cristo voltar. A primeira ressurreição, que a Bíblia fala, segundo eles, pode representar ou o renascimento espiritual de cada pessoa salva ou os mártires que já reinam com Cristo. Sobre a grande tribulação e a segunda vinda de Cristo, o amilenismo crê que isso tudo vai acontecer antes da volta de Cristo, porque, para eles, após a volta de Cristo será decretado o fim da história, não haverá mil anos de reinado de Cristo aqui, para eles, depois da volta de Cristo não haverá mais história para os ímpios, somente para os crentes que estarão com Cristo para sempre.

Davi: Em quais versículos eles se apóiam para ensinar isto?

Pr. Gilson: Combinamos que não iríamos expor os argumentos que as três correntes escatológicas usam, isso inclui os versículos. Posteriormente, se vocês quiserem exporemos os textos bíblicos e os argumentos lógicos, cronológicos e históricos.

Davi: Quais os principais nomes do amilenismo ou, como Jay Adams sugere, do pró-milenismo?

Pr. Gilson: Ok. Vamos aos principais nomes do amilenismo ou pró-milenismo.:

1 – Eusébio de Cesaréia, Hipólito de Roma, Martinho Lutero, João Calvino, Richard Baxter.
2 – Atualmente, ou seja, nos teólogos contemporâneos: Jay Adams, Louis Berkhof, John Stott, Martin Lloyd-Jones, William Hendriksen, Abraham Kuyper, Herman Bavinck, Leon Morris e Anthony Hoekema.

Rebeca: Agora vamos para o pós-milenismo, é isto?

Pr. Gilson: Exato. O que ensina o pós-milenismo?  Afirma que o milênio ocorrerá antes da segunda vinda de Cristo. Os pós-milenistas acreditam que as profecias de Daniel, Mateus 24 e a maior parte do Apocalipse já foram cumpridas. Em Mateus 24, segundo eles, essa profecia já foi cumprida com a derrota dos judeus pelos romanos, em 70 d. C.

Saulo: Então Apocalipse 20 já está acontecendo? Sim. Para eles, o Reino de Deus, simbolizado pelo milênio de Apocalipse 20, será realizado por meio do sucesso da pregação do evangelho e das missões a todos os povos da terra. O evangelho será disseminado no mundo inteiro e a maior parte da raça humana será salva. O Evangelho será pregado a todos e os princípios éticos da Bíblia serão obedecidos.

Tomé: Quanta heresia!

Pr. Gilson: Calma! A gente nem viu os versículos sobre os quais eles se apóiam. Mas continuemos: O conhecimento e a tecnologia continuará a crescer cada vez mais. A tecnologia e a base cristã da sociedade capacitarão a humanidade a resolver os problemas de pobreza, fome, crime, etc.

Rebeca: Isso são os mil anos de paz que a Bíblia fala em Apocalipse 20?

Pr. Gilson: Sim, para os pós-milenistas. Alguns deles crêem que, por causa da obediência das nações ao evangelho, Deus removerá quase todos os efeitos da maldição da criação proferida em Gênesis 3, após a queda.

Rebeca: Meu Deus, isso é um paraíso!!!

Pr. Gilson: Tem mais. A natureza será restaurada, a poluição vencida e a capacidade produtiva da terra será plenamente alcançada. Ninguém passará fome, carência de moradia ou roupa, todos terão mais do que precisam.

Tomé: Isso é pregação positivista.

Pr. Gilson: Parece. Mas os pós-milenistas acreditam que estamos vivendo este milênio ou marchando para o ápice dele, onde a ordem que Deus deu a Adão e Eva, o ideal de perfeição, acontecerá nesse período.

Madalena: Um momento. Em Apocalipse 20 diz que Satanás será preso. Nesse período, defendido pelos pós-milenistas, Satanás estará preso?

Pr. Gilson: Sim. Para os pós-milenistas, Satanás já está preso, pois sua prisão é espiritual, não física. A questão colocada por eles é a seguinte: como o milênio não são mil anos literais, mas espirituais, a prisão de Satanás também não é literal, mas apenas no sentido de que ele está detido.

Absalão: E aí, pluft! Se tá bom demais assim, prá que Cristo vir?

Pr. Gilson: Alguns teólogos pós-milenistas creem que Satanás, que foi preso durante a era do milênio, será solto durante os anos finais e que conseguirá liderar uma rebelião contra o povo de Deus. Nes interpretação, haverá uma breve tribulação no fim do milênio, mas não no sentido aceito pelos pré-milenistas. Neste caso, Jesus voltará em breve para destruir Satanás e o julgará com todos os seus seguidores, tanto demônios, quanto homens.

Absalão: E Jesus vem para...?

Pr. Gilson: Para arrebanhar a Sua Igreja e decretar o fim da história, iniciando o estado eterno com a sua igreja.

Absalão: Quem são os hereges que ensinam isto?

Pr. Gilson: Calma! Não vamos chamar de hereges, mas uma coisa é importante saber: Depois de duas guerras mundiais, depois de presenciarem tanta violência, a humanidade parecendo que está indo para o caos, existem poucos teólogos pós-milenistas. Vejamos alguns:

1 – Loraine Boettner, Errol Hulse, Iain Murray.
2 – Alguns pós-milenistas propôem uma revisão do pós-milenismo. São eles, Greg L. Bahnsen, Gary North, Rousas J. Rushdoony, Gary DeMar, Douglas Wilson e Kenneth L. Gentry Jr.

Saulo: Agora, vamos ao pré-milenismo dispensacional. É isto?

Pr. Gilson: Exato. Vamos entender o que é o pré-milenismo dispensacional. Essa posição foi desenvolvida na Inglaterra, em meados do século XIX. Esta posição concorda com o pré-milenismo histórico, mas discorda em alguns pontos.

Estêvão: Quais são os pontos divergentes?

Pr. Gilson: Em primeiro lugar, é preciso entender que eles são dispensacionalistas.

Suzana: E eu preciso saber o que é isso, o que é dispensacionalistas.

Pr. Gilson: Os dispensacionalistas dividem a história bíblica e da humanidade em sete dispensações. Vejamos:

1 – Dispensação da inocência (ou edênica): começa com a criação do homem e termina com a queda.
2 – Dispensação da consciência (ou adâmica): O período no qual o homem passa a conhecer o bem e o mal, passa a ter responsabilidade sobre suas escolhas diante de Deus.
3 – Dispensação do governo humano (ou noéica): O período desta dispensação vai do dilúvio até a Torre de Babel.
4 – Dispensação da promessa (ou abraâmica): Deus escolhe um homem, Abraão, e cria um povo particular, dando-lhe uma promessa.
5 – Dispensação da lei (ou mosaica): Esta dispensação foi dada ao povo de Israel. Essa dispensação abrangeu o período entre a entrega da lei a Moisés até a morte de Cristo.
6 – Dispensação da graça (ou da igreja): Esta dispensação é dada à um povo, a Igreja de Jesus Cristo. Esta é a dispensação em vigor nos dias de hoje. Nesta dispensação acontecerá o arrebatamento da Igreja, as bodas do cordeiro, sete anos de grande tribulação.
7 – Dispensação do Reino (ou do milênio): Esta dispensação durará mil anos, é o período do milênio, o Reino terreno de Cristo e sua Igreja.

Rute: No caso da grande tribulação, é nesse ponto que os dispensacionalistas divergem dos pré-milenistas históricos?

Pr. Gilson: Esse é o ponto divergente mais forte. Vejamos: para os pré-milenistas dispensacionais, durante a dispensação da graça Cristo virá a qualquer momento, arrebatará sua igreja e a levará para as bodas. Aqui na terra, acontecerão sete anos de grande tribulação (três anos e meio de aparente paz e três anos e meio de tribulação forte). Ao final da grande tribulação, Cristo volta e estabelece aqui a dispensação do reino ou do milênio.

Rebeca: Para os pré-milenistas dispensacionalistas haverá salvação durante a grande tribulação?

Pr. Gilson: É isso.

Davi: E quando acontece o fim da história?

Pr. Gilson: Para facilitar o entendimento, os eventos para os pré-milenistas dispensacionalistas serão os seguintes:

1 – Arrebatamento da Igreja (será num piscar de olhos)
2 – Tribunal de Cristo: Será no céu. Um tribunal para os salvos que receberão galardões.
3 – A grande tribulação: aqui na terra estará acontecendo a grande tribulação. Três anos e meio de aparente paz e três anos e meio de grande tribulação. O anticristo, a besta, estará reinando.
4 – No final dos sete anos de tribulação Cristo vem e acontece a batalha do Armagedom.
5 – No final da Batalha do Armagedom Cristo vence e implanta seu Reino Milenal aqui na terra, prendendo Satanás.
6 – No final do Reino Milenal, Satanás será solto, sairá a enganar as nações, que a Bíblia chama de Gogue e Magogue, para guerrear contra Cristo e seus escolhidos. Cristo pede fogo do céu, destrói Satanás e seus seguidores.
7 – Em seguida, acontecerá o julgamento do Grande Trono Branco.
8 – Após o julgamento do Grande Trono Branco, os ímpios serão lançados no inferno e a igreja irá viver com Cristo na Nova Jerusalém, no Céu.
9 – Esse é o fim da história.

Absalão: Ufa! Complicado o negócio!

Pr. Gilson: Essa é a teoria.

Davi: Quais são os principais teólogos que ensinam isto?

Pr. Gilson: Vejamos:

1 – Edward Irving, John Nelson Darby, C. I. Scofield (Congregacional. Autor da Biblia de referência Scofield).
2 – Outros nomes: John F. Walvoord, J. Dwight Pentecost, John Feinberg, Paul Feinberg, Charles C. Ryrie, Arno C. Gaebelein, Lewis S. Chafer, Norman Geisler, J. Scott Horrel, Walter C. Kaiser, Francis Chaeffer e John McArthur Jr.

Tomé: Ouvi falar que existem os meso-tribulacionistas. É verdade?

Pr. Gilson: É. Dentro da corrente Pré-milenista dispensacionalista, existem aqueles chamamos meso-tribulacionistas ou midi-tribulacionistas, que acreditam que o arrebatamento acontecerá no meio da grande tribulação.

Tomé: Mas, no geral, os pré-milenistas dispensacionais são pré-tribulacionistas ou meso-tribulacionistas?

Pr. Gilson: Exatamente. É bom lembrar que nos pré-milenistas dispensacionalistas existem várias subdivisões, pois sempre aparece um pequeno pensamento. Mas, no geral, é isto.  

Madalena: O senhor pode citar alguns nomes de meso-tribulacionistas?

Pr. Gilson: Temos alguns:

1 – Gleason L. Archer (autor da enciclopédia de dificuldades bíblicas), J.Oliver Buswell e Merril C. Tenney.

Saulo: Sugiro que trabalhemos agora os versículos e argumentos das quatro correntes escatológicas.

Pr. Gilson: E eu sugiro que a gente dê uma pausa e depois voltaremos com os versículos e argumentos das posições escatológicas. Antes, sugiro que vocês comprem o Livro TEOLOGIA SISTEMÁTICA de Franklin Ferreira e Alan Myatt, Editora Vida Nova, onde vocês encontrarão tudo que citei aqui. Então, até a próxima.