O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

23 de fevereiro de 2016

Nomes de congregacionais no Dicionário Popular de Teologia, de Millard Erickson

NOMES DE CONGREGACIONAIS NO DICIONÁRIO POPULAR DE TEOLOGIA, DE MILLARD ERICKSON

Pr. Gilson Soares dos Santos

O Dicionário Popular de Teologia, da autoria de Millard Erickson, traz vários nomes de congregacionais. Gostaria de organizar aqui uma lista desses nomes, a fim de nortear possíveis pesquisas de alunos. Lembrando que alguns desses nomes têm posições teológicas duvidosas. Meu objetivo aqui não é julgar a teologia deles, porém, apresentar apenas seus nomes.

CHARLES HAROLD DODD (1884-1973). Ministro congregacional britânico e professor de Novo Testamento em Oxford, Manchester e Cambridge; é conhecido particularmente por seu conceito de escatologia realizada.

CYRUS INGERSON SCOFIELD (1843-1921). Ministro congregacional cujos escritos fizeram muito para popularizar as visões fundamentalista e dispensacionalista, especialmente Manejando bem a Palavra da Verdade e a Bíblia de estudo Scofield.

HORACE BUSHNELL (1802-1876). Teólogo congregacional americano e uma das forças mais influentes na construção do liberalismo norte-americano do século XIX. Expôs a visão da influência moral da expiação.

JONATHAN EDWARDS (1703 1758). Ministro congregacional e um dos principais teólogos do Primeiro Grande Avivamento. Seu pastorado mais importante aconteceu em Northampton, Massachusetts, onde pregou o famoso sermão “Pecadores nas mãos de um Deus irado”. Ele foi presidente da Faculdade de Nova Jersey (Universidade Princeton) apenas algumas semanas antes de sua morte.

JOHN OWEN (1616-1683). Teólogo puritano inglês que enfatizou fortemente a forma congregacional de governo da igreja. Tornou-se um não conformista na década de 1660.

NATHANIEL WILLIAM TAYLOR (1786-1858). Pregador congregacional e teólogo da Universidade Yale, que é visto como o fundador da teologia de New Haven. Modificou o calvinismo, mesclando-o com as ênfases do reavivalismo.

PETER TAYLOR FORSYTH (1848-1921). Teólogo congregacional evangélico inglês.

SOLOMON STODDARD (1643-1729). Pregador congregacional de Northampton, Massachusetts, que exerceu enorme influência sobre o protestantismo na Nova Inglaterra. Avô de Jonathan Edwards.

TIMOTHY DWIGHT (1752-1817). Clérigo, teólogo e educador congregacional. De 1795 até sua morte, foi presidente e professor de teologia na Universidade Yale. Defensor do calvinismo conservador, exerceu influência sobre o Segundo Grande Avivamento. Sua obra principal foi um conjunto de sermões em cinco volumes intitulado Teologia explicada e defendida.

WASHINGTON GLADDEN (1836-1918). Ministro congregacional que muito contribuiu para a popularização da teologia liberal e do evangelho social.

Como eu disse, é uma pequena lista. Pode começar a pesquisar sobre eles.

16 de fevereiro de 2016

Classes de pessoas que não herdarão o Reino de Deus


CLASSES DE PESSOAS QUE NÃO HERDARÃO O REINO DE DEUS

Pr. Gilson Soares dos Santos

Embora muitos nunca tenham atentado para essa temática, a Bíblia classifica, de forma categórica, a lista das pessoas que não entrarão no Céu.

Vamos observar os textos que tratam do assunto.

PROPOSIÇÃO: VEJAMOS ALGUMAS DAS LISTAS DAS PESSOAS QUE NÃO ENTRARÃO NO REINO DE DEUS

1 – PRIMEIRA LISTA: Em I Coríntios 6.9,10

9 Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, 10 nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. (ARA)

9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus? 10 Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus.(ARC)

a) OS INJUSTOS, Adj. Iníquo; contrário à justiça; infundado.

b) OS IMPUROS OU DEVASSOS: Adj. Imundo; indecente; contaminado; sórdido; lúbrico; sensual; inquinado; sujo

c) OS IDÓLATRAS: Adj. 2gen. Adorador de ídolos

d) OS ADÚLTEROS: Adj. Alterado; corrompido; falsificado; que violou ou viola a fidelidade conjugal.

e) OS EFEMINADOS: Adj. Adamado; amaricado; excessivamente delicado; travestis.

f) OS SODOMITAS: s.f. Perversão sexual; prática do coito anal; (do nome de Sodoma, antiga cidade da Palestina); homossexual.

g) OS LADRÕES: Adj. Que furta; que rouba.

h) OS AVARENTOS: Adj. Aquele que é sordidamente apegado ao dinheiro.

i) OS BÊBADOS: adj. Embriagado, alcoólatra.

j) OS MALDIZENTES: Adj. 2gen. S. 2gen. Que tem má língua; pessoa que fala mal dos outros; difamador; caveirista.

k) OS ROUBADORES: Adj. Aquele que rouba. (Em linguagem policial distingue-se: roubar, quando o agente exerce violência, é um furto qualificado. Furtar, quando a subtração se faz sem violência.)

2 – SEGUNDA LISTA: Em Gálatas 5.19-21

19 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, 20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, 21 invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.(ARA)

19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, 20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, 21 invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.(ARC)

a) PROSTITUIÇÃO: Ato ou efeito de prostituir.

b) LASCÍVIA: Grande inclinação para a luxúria; libidinagem; sensualidade; cabritismo; inclinação desenfreada por sexo.

c) FEITIÇARIA: s.f. Bruxaria; sortilégio; encantamento; magia; mandinga.

d) INIMIZADES: s.f. aversão; malquerência; desafeição; falta de amizade.

e) PORFIA: s.f discussão; contenda de palavras; insistência; pertinácia; disputa; luta; embate.

f) CIÚME OU EMULAÇÃO: s.m. Zelos amorosos; emulação; desejo de posse da pessoa amada.

g) IRA: s.f. cólera; raiva; desejo de vingança.

h) PELEJA OU DISCÓRDIA: Ato de pelejar; combate; ralhos; briga; contenda.

i) DISSENSÕES: Divergência.

j) FACÇÃO OU DIVISÃO: Neste sentido aqui é a divisão por causa de heresias.

k) INVEJA: Desejo violento de possuir o bem alheio.

l) GLUTONARIA: Qualidade de glutão; aquele que come muito; o que come exageradamente.

3 – TERCEIRA LISTA: Em Efésios 5.5

5 Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.(ARA)

5 Porque bem sabeis isto: que nenhum fornicador, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus.(ARC)

a)  FORNICADOR OU INCONTINENTE: Aquele que pratica a fornicação; está ligado à prostituição; prática do coito.

4 – QUARTA LISTA: Em Apocalipse 21.8

8 Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.

8  Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte.

a) OS COVARDES OU TÍMIDOS: Nesse contexto, refere-se àquele que é enviado pelo Senhor e se acovarda. Há quem diga que a Palavra refere-se ao traiçoeiro, aquele que faz covardia.

b) OS INCRÉDULOS: Aqueles que não crêem nas Palavras de Deus.

c) OS ABOMINÁVEIS: Aquele que pratica abominação. Todo o que pratica atos que Deus abomina.

d) OS HOMICIDAS OU ASSASSINOS: Aquele que mata; o que comete assassinato.

e) OS MENTIROSOS: Aquele que vive na prática da mentira.

5 – QUINTA LISTA: Em Apocalipse 22.15

15 Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira.

15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

a) CÃES: Não encontrado. Alguns comentaristas acreditam que refira-se a “canibais”, pessoas que praticam o canibalismo, comem carne humana.

b) Repetição da lista do 21.8

A Bíblia é enfática nisso que expõe. Essas listas explicam  porque Jesus mostrou que o caminho para o Céu é estreito, a porta para o Céu é estreita.
    
A lista é bem maior.
    
Que mantenhamos firme nossa fidelidade à Deus e Sua Palavra.

10 de fevereiro de 2016

Carta de Campina Grande 2016


CARTA DE CAMPINA GRANDE 2016

Nós, membros da igreja de Jesus Cristo, participantes do 18º Encontro para a Consciência Cristã, celebramos a comunhão que desfrutamos como povo de Deus, e unidos ao redor do evangelho de Cristo afirmamos:

1º) Que a mensagem pregada pelos apóstolos tinha por conteúdo exclusivo a verdade inequívoca de que Jesus Cristo era o único capaz de salvar os homens de seus delitos e pecados, e que fora dele absolutamente ninguém pode ser salvo (Atos 4:12).

2º) Afirmamos também que através da morte de Cristo na Cruz todo escrito de dívida que era contra nós foi cancelado (Colossenses 2:13-14) e que, devido a isso, não existe nenhuma maldição ou condenação que possa prevalecer, amedrontar ou escravizar aqueles que por Ele foram salvos.

3º) Afirmamos que o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário foi suficiente para livrar o crente de toda condenação do pecado. Em virtude disso, tornam-se desnecessárias ações humanas cujo foco destina-se a quebra de maldições hereditárias, repreensão de espíritos familiares que escravizam os homens ou até mesmo a observância de elementos místicos cujos conceitos não estão fundamentados nas Sagradas Escrituras. Ao contrário disso, afirmamos veementemente que cremos que a morte de Cristo na cruz foi suficiente para libertar os salvos das garras de Satanás dando a estes, vida eterna (Colossenses 1:13-14).

4º) Afirmamos que Cristo é suficiente para a salvação do pecador. Em virtude disso, não existe nada, nem ninguém, nem tampouco nenhuma observância religiosa capaz de corroborar com a salvação dos homens. Acreditamos que a salvação não se deve a uma conquista humana, mas é uma dádiva de Deus. Não nos é possível alcança-la por mérito, mas sim por graça, e que também não é um tipo de troféu que erguemos como fruto do nosso esforço pessoal, mas um presente imerecido (Efésios 2:1-10).

5º) Afirmamos que o evangelho é a boa notícia da salvação graciosa de Deus de que somente pela fé em Jesus Cristo o homem pode ser salvo e que ninguém pode ser justificado por suas obras, visto que todos pecaram e distanciaram-se da glória de Deus (Romanos 3:23; 6:23; Efésios 2:8-9), tornando-se assim incapazes de se autojustificarem diante de Deus (Romanos 3:10-11).

Diante do exposto, concluímos:

Estamos convictos de que fora de Cristo absolutamente ninguém pode ser salvo, portanto, com coração contrito, afirmamos que rejeitamos todo tipo de doutrina, ensino ou conceito teológico que afirme a possibilidade de salvação do pecador fora de Cristo.

Declaramos também, como discípulos do Senhor, que assumimos o compromisso de proclamar Cristo a todos os povos, tribos, línguas e nações, como o único capaz de salvar o homem de seus delitos e pecados (João 10:6; 11:25; 14:6).

Portanto, confiantes na graça de Deus, assumimos este compromisso diante do Todo-poderoso e de Seu povo, a fim de vermos em nossa nação um poderoso progresso do Evangelho de Cristo.

Pr. Euder Faber Guedes Ferreira (presidente da VINACC) 
Pr. Augustus Nicodemus (IPB/GO)
Pr. Aurivan Marinho (IC/PE)
Prof. Brenno Douettes (IB/PR)
Pr. Calvino Rocha (IPB/PB)
Pr. Ciro Sanches Zibordi (AD/RJ)
Pr. Conrad Mbewe (KBC/ZAM)
Pr. Franklin Ferreira (IB/SP)
Pr. Gaspar de Souza (IPB/PE)
Pr. Geremias Couto (AD/RJ)
Pr. Joaquim de Andrade (CREIA/SP)
Pr. Jonas Madureira (IB/SP)
Pr. Jorge Noda (ILEST/PB)
Pr. José Bernardo (AMME/SP)
Pr. Marcos Gladstone (SBB/SP)
Prof.ª Norma Braga (IPB/RN)
Pb. Solano Portela (IPB/SP)
Pr. Renato Vargens (ICA/RJ)
Miss. Rosali Melo (IC/PB)
Miss. Thomaz Litz (Juvep/PB)
Pr. Tiago Santos (IB/SP).

7 de fevereiro de 2016

Carnaval, uma festa estúpida


CARNAVAL, UMA FESTA ESTÚPIDA

Pr. Gilson Soares dos Santos

Antes que alguém venha objetar o título acima, é bom ler toda a postagem. Visto que, o Brasil está cheio de festas estúpidas, sendo o carnaval uma delas. O título que encabeça essa postagem poderia ser mais ousado e chamar o carnaval de festa hipócrita, pois é isso que essa festa representa: a hipocrisia de uma nação.

Carnaval, festa que abriga uma depravação geral, mísera degradação, orgias, devassidões e degeneração da sociedade, desde os poderosos aos pobres.

Carnaval, festa que expõe todos os vícios que a natureza decaída e corrupta do homem é capaz de praticar. Se fosse publicado em livros o que se faz nas festas de carnaval suas páginas teriam cor de trevas.

Carnaval, festa de ambição desordenada, que leva políticos a promoverem folias para benefício pessoal e satisfação da hediondez de suas ações.

Carnaval, folia de vergonhosa libertinagem, intemperança e devassidão. Pessoas arruínam-se pela prática de vícios contrários à natureza, fazendo corar o mais depravado mortal.

Carnaval, folia carregada de ostentação descarada e coisas abomináveis à natureza humana. Homens e mulheres se entregam às paixões mundanas, frequentando lugares de libertinagem, praticando as maiores obscenidades desejáveis pela carne, práticas tão nojentas que tais pecadores jamais teriam coragem de contá-las em público.

Carnaval, comemoração que cega o povo de tal maneira que este se torna incapaz de se proteger da tirania e dos vícios detestáveis, exercidos por muitos governantes.

Carnaval, comemoração que conquistou o mais longo feriado brasileiro, pois tudo (ou quase tudo) fica fechado na folia momesca.

Carnaval, festa que deixa o povo inebriado de deleites, pulando intoxicado pela hipocrisia reinante e o veneno da tentação a ferver-lhe o sangue. Preso por uma paixão contagiosa.

Na quarta-feira, pecadores ainda distantes da graça salvadora de Cristo, buscam cinzas para, ilusoriamente, trazer purificação para seus pecados. Comprovando que nunca aprenderam nada sobre a expiação por meio do sangue de Cristo. Piorando a situação, recebem o aval de líderes religiosos que tem medo de confrontar essas práticas bizarras.

Quem para e analisa a folia de carnaval pode contemplar um quadro revoltante, que revela o estado moral brasileiro. Pois “o estado moral de um povo pode ser convenientemente avaliado pelo modo como passa suas horas de recreio, e pelo caráter das diversões que são do gosto popular”.

Pois bem, o carnaval revela o estado moral de grande parte do povo brasileiro. Por isso, ratifico o título: o carnaval é uma festa estúpida.